Educação lança campanha contra a redução da Maioridade Penal

Reproduzimos o texto do panfleto escrito pelo GT de comunicação da Campanha “Educação por um mundo novo sem opressões”, que se chamava antes “Campanha da educação contra as perseguições políticas”.

11693861_466259153556735_4287497763134009286_n Entendendo o retrato dos tempos atuais…

A imagem que vemos neste panfleto reflete exatamente o sentimento que nós, educadorxs do Estado e município do Rio de Janeiro, temos frente às diversas perseguições que as classes trabalhadoras sofrem, principalmente o povo negro e pobre das favelas (onde estão, em grande parte, nossxs alunxs das redes públicas de ensino).

Os governos municipal, estadual e federal querem que não pareça claro, mas o conjunto de iniciativas que eles vêm implementando ou tentando implementar (retaliações aos movimentos de trabalhadorxs grevistas; perseguições políticas àquelxs que expressam suas divergências com o Estado e à autoridade que este representa; o processo de “pacificação” pela bala, tortura, prisão e assassinato; dentre tantas outras medidas repressivas) se apresentam, não por acaso, de forma articulada, em um tempo de “crise econômica” para o povo e perpetuação das riquezas para os grandes empresários. E com auxílio dos jornais e mídias de grande circulação ditam aquilo que é necessário ser feito em nome da boa ordem e da segurança, frente a um suposto caos que o enfrentamento das massas poderia gerar. Sabemos dos inúmeros discursos produzidos pelas elites deste país para o fomento ao medo e a punição, e sabemos, sobretudo, sobre quem e como recaem estas punições. Sabemos que a justiça não é neutra e que a lei muitas vezes é arma contra classes. Nós conhecemos as vítimas desse sistema que fecha escolas, constrói e privatiza cadeias, precariza (a todo e qualquer custo) nossas vidas.

Nesse contexto, a aprovação da redução da maioridade penal foi mais um dentre tantos ataques, um golpe da Câmara dos Deputados, e juntamente a possíveis outros golpes que ainda virão pela frente, representam somente o interesse das classes privilegiadas (que seguem a criminalizar a pobreza e a defender ou invisibilizar o genocídio do povo negro nas favelas). É mais uma perseguição a quem cotidianamente já é perseguido, para quem sair de casa muitas vezes já é o próprio fazer revolucionário, a própria resistência, para pessoas que nem ao menos recebem o “benefício” de serem julgadas pela lei, para quem a pena de morte já é velha conhecida.

Diante de tudo isso, nós afirmamos que todo este projeto fascista de governança não passará! Assim como não passará o seu disfarce cada vez mais mal vendido, de democracia. A luta contra a redução da maioridade penal é nossa, tanto quanto é do jovem que tem seus direitos roubados. Assim como é nossa a luta contra os cortes de verba pra educação, os casos de exoneração e processos administrativos aos profissionais grevistas, as terceirizações e a precarização dos nossos trabalhos, as perseguições e a criminalização dos 23 militantes presos as vésperas da final da copa do mundo de 2014, a prisão do trabalhador Rafael Braga por porte de desinfetante, o desaparecimento dos 43 estudantes normalistas pela polícia mexicana e contra tantas outras violências do Estado que constituem a repressão articulada para a garantia dos privilégios históricos das elites.

Com esse entendimento sobre os dias que estamos vivendo, buscamos, mais do que nunca, a união das mãos que sofrem a violência e o terrorismo do Estado! De punhos cerrados, temos a mais precisa convicção de que educadorxs lutando, também estão educando!

LUTAR NÃO É ESCOLHA, LUTAR É PRECISO.
SUA LUTA, NOSSA LUTA!
EDUCAÇÃO POR UM MUNDO NOVO

Link do evento: https://www.facebook.com/events/1465967413702147/

‪#‎EDUCAÇÃOPORUMMUNDONOVO‬
‪#‎EUAPOIOOS23‬
‪#‎LIBERDADEPARARAFAELBRAGA‬
‪#‎FORACUNHA‬
‪#‎CONTRAREDUÇÃODAMAIORIDADEPENAL‬

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.