I ENCONTRO DA FIP | ORGANIZAR A FIP NO RIO DE JANEIRO PREPARAR AS LUTAS DE 2014

O ano de 2013 foi o ano da generalização dos protestos populares em todo o país, marcado por um ato histórico de mais de um milhão de pessoas no Centro do Rio de Janeiro. Para colocar tantas reivindicações nas ruas, o povo lutou e resistiu bravamente aos ataques da polícia, da Força Nacional, do monopólio de todos os meios de comunicação e dos oportunistas de plantão. Em meio à aguerrida resistência, lutadores se encontraram nas ruas, atuando juntos ombro a ombro e percebendo que podiam contar uns com os outros. Nasceu daí a Frente Independente Popular, agrupando ativistas combativos – independentes e de organizações de luta.

Tomando como princípios o classismo, a combatividade e o repúdio ao oportunismo eleitoreiro, os ativistas da FIP estiveram mobilizando diversos lutadores para os protestos na cidade. Formamos um bloco de luta ativo nas ruas.

APROXIMA-SE O TEMPO DE APROFUNDAR AS LUTAS

Muitas lutas foram travadas em 2013:
• Pela redução das tarifas das passagens e por transporte digno;
• Contra todas as formas de opressão do Estado sobre o povo, como as remoções e a militarização das favelas;
• Contra o Estado de Sítio imposto pela FIFA;
• Pela Aldeia maracanã e contra a destruição e a privatização do complexo desportivo do Maracanã;
• Em oposição e resistência às balas da polícia do Papa, do Cabral e da Dilma;
• Contra o fascismo de Sérgio Cabral, Eduardo Paes e da Câmara de milicianos da cidade do Rio de Janeiro;
• Em denúncia dos crimes do regime militar durante o 7 de setembro;
• Pela defesa da educação, em greve e protestos combativos dos seus profissionais;
• Contra o Leilão do Pré-Sal;
• Contra a criminalização dos movimentos sociais e manifestantes empreendida pelos governos municipal, estadual e federal.

Esse é um breve histórico das lutas de 2013. Contribuímos para todas essas batalhas, resultando na formação da Frente Independente Popular. Além de todas essas lutas é importante lembrar que a FIP promoveu também freqüentes panfletagens apoiando as lutas do povo em Manguinhos contra a UPP, na Central do Brasil contra a precarização dos trens pela Supervia, na histórica greve dos profissionais de educação, em Bangu (no Complexo Penitenciário de Gericinó) contra as arbitrariedades e maus-tratos da população e pela libertação dos presos políticos.

Para dar conta das lutas de 2014, precisamos dar um passo à frente na organização. Só vamos poder encarar os desafios de 2014 em diante se a FIP se consolidar nos quatro cantos da cidade. As lutas gerais terão maior sucesso com a formação de pólos combativos que organizem as lutas nas diversas regiões do Rio de Janeiro. A FIP precisa estar presente nas escolas, universidades, indústrias e demais locais de trabalho, ocupações, favelas, bairros e no campo.

A Copa do mundo da FIFA e outros megaeventos (Olimpíadas) estão chegando. Os governos seguirão com a política de remoções, de sitiamento da cidade, de precarização da saúde, educação, condições de trabalho e a criminalização dos movimentos sociais. Tentarão garantir lucros extraordinários para os grandes grupos empresariais com seus megaempreendimentos. A resposta do povo será impedir seus objetivos capitalistas, expor o estado de calamidade em que vivemos e colocar milhões de pessoas nas ruas para mostrar que não se constrói um país com estádios.

As eleições farsantes de outubro virão na sequência com sua demagogia, enganação do povo com falsas promessas e vendendo ilusões de um desenvolvimento que na realidade nunca se realizará nem trará igualdade social em nosso país, que se encontra dominado pelo imperialismo. A população cansada e decepcionada com essa falsa democracia representativa não se contentará em apenas engordar os índices de boicote a votação. Vamos tomar as ruas mostrando que só com REVOLUÇÃO nosso país mudará e a vida do povo realmente se transformará.


PARTICIPE DO ENCONTRO DA FIP – 14 E 15 DE DEZEMBRO DE 2013 a partir das 8h.

LOCAL: ALDEIA MARACANÃ
As inscrições poderão ser feitas no local. No sábado (amanhã), das 8h às 9h30 teremos café-da-manhã e credenciamento.
Contribuições são voluntárias. Teremos alimentação para todos e será possível dormir na Aldeia.
Pedimos que levem, se possível: copo ou caneca, prato e talheres. A Aldeia solicita aos que possam a doação de uma garrafa de água e 1kg de alimento não-perecível.
Esta entrada foi publicada em Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.