Nota da OATL em apoio a FIP e contra a ação policial no ato do dia 28 de junho

Nota da OATL em apoio a FIP e contra a ação policial no ato do dia 28 de junho:

A ação policial contra o ato “Não vai ter copa/Fifa go home” no dia 28 de junho foi um completo absurdo. Não foi um absurdo somente em uma perspectiva de esquerda ou revolucionária, mas foi um absurdo até mesmo do ponto de vista constitucional. A ação da repressão no intuito de simplesmente acabar com o ato foi uma clara cassação ao direito de livre manifestação. Acontece que é uma mentira que a polícia serve para manter a lei, a polícia existe para manter a ordem burguesa, mesmo que para isso precise ir contra a própria lei criada pelas instituições produzidas pela própria burguesia. O que aconteceu foi um show de ilegalidades: pessoas presas por portarem megafone; bandeiras e panfletos apreendidos; revistas e coações arbitrárias; pessoas agredidas simplesmente por estarem em uma manifestação; mulheres transportadas em viaturas lotadas de policias homens e sem acompanhamento; menores de idade rodando durante horas em viaturas sem sabermos ao certo seu paradeiro; pessoas agredidas dentro de viaturas. Cassetetes e spray de pimenta, simplesmente porque as pessoas estavam nas ruas. A polícia tentou cercar o ato desde o seu início,tentando impedir a sua saída e fazendo bloqueios em várias ruas para impedir a passagem. Nenhuma pessoa presa teve direito a ser acompanhada por um advogado e a razão da prisão consistiu simplesmente em tentar seguir com o ato. Esse tipo de ação caracteriza um verdadeiro estado de exceção, onde a exceção de fato se torna a regra em nome do lucro dos empresários e dos governos em virtude dos megaeventos. Essa não foi a primeira vez, esse tipo de ação da repressão tem ocorrido em todo Brasil, como em recente manifestação em São Paulo e já ocorreu também no Rio de Janeiro, onde observamos a tentativa sistemática de impedir a existência de manifestações de rua. No momento em que metroviários são demitidos em São Paulo e trabalhadores da educação são ameaçados de demissão simplesmente por exercerem seu legitimo direito de greve, não podemos deixar de lembrar da ditadura militar brasileira e o auge do recrudescimento da repressão, que simplesmente proibiu manifestações de rua e o direito de greve. Porém, o momento é de cabeça erguida, lembremos que mesmo com toda repressão, a juventude combatente é corajosa e aguerrida. Que mesmo nesse dia os manifestantes ainda conseguiram retornar a Praça Sans Pena, onde encerraram o ato diante de um aparato policial de guerra. Lembremos também da força e coragem dos garis, que mesmo com toda ameaça de demissão resistiram e garantiram na marra uma importante vitória para a classe trabalhadora! Por fim, vamos saudar a coragem das mulheres, destas guerreiras que estão nas ruas enfrentando a repressão e não recuando diante do choque, mesmo com toda a sociedade patriarcal que procura invisibilizá-las e que, mesmo na esquerda, desqualifica as suas ações. Mais uma vez a ação policial visou deter covardemente sobretudo as mulheres, mais uma vez as mulheres mostraram sua força!

Companheirxs, o presente é de luta, o futuro é nosso! Todo apoio à Frente Independente Popular – RJ!!!!

Esta entrada foi publicada em Notas, Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.