Organização Política Anarquista: Da insurreição espontânea à luta organizada

Dezembro de 2008 – dezembro 2015: Pela transição da insurreição espontânea à luta organizada e contínua para a revolução social.


A revolta de 2008 mostra que a insurreição social é possível, que  o contra-ataque social e de classe – diferentemente da integração, resignação e individualismo,  é a única  perspectiva realista de vitória 
dos explorados e oprimidos. Hoje a revolta de dezembro está viva como uma proposta social, não para repeti-la, mas para que os mesmos lutadores a superem na perspectiva da revolução social.


Para pavimentar o caminho para a revolução social não são suficientes os estalidos espontâneos, transitórios e desorganizados de nossa raiva justa. Se requer auto-organização política, social e de classe dos próprios oprimidos, para o planejamento, o desenvolvimento e a continuidade da luta. É necessário que os lutadores montem barreiras contra a manipulação, apropriação e mediação nas resistências sociais e de classe. Armados com a nossa solidariedade, precisamos lutar em direção a organização, a interconexão, o encontro, e continuação das lutas desde baixo para criar novas frentes de propagação e de enfrentamento contra todos os aspectos da barbárie estatal e capitalista.

Nossa utopia não se detém no estalar da insurreição espontânea. Não se contenta com nada menos do que a  revolução social, subversão (derrubada) absoluta do Estado e do capitalismo, e a construção de uma nova sociedade sem classes e de igualdade, solidariedade e liberdade.


Pela anarquia e revolução social!

Organização Política Anarquista – Federação de Coletivos

 

O texto em grego-inglês-espanhol-francês:

https://ipposd.wordpress.com/2015/11/30/%CE%B1%CF%86%CE%AF%CF%83%CE

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.