Professor é preso, perseguido pelo Estado e ameaçado de demissão pela Secretaria de Educação do Rio.

10522415_307858659396786_5212770705471439315_n Desde 2009, na rede pública estadual de ensino, lecionando História na cidade de Magé, o professor Filipe Proença, militante da OATL e do Grupo de Educação Popular (GEP), sempre foi dedicado e muito orgulhoso da sua profissão de educador. Não é surpresa encontrar diversos alunos contando das suas aulas, do trato afetuoso com os alunos e da linguagem adotada em sala no ensino médio e fundamental, que fazia tudo parecer mais interessante. Além disso, Filipe se utilizava da música em sala e incentivava a participação dos alunos subvertendo a lógica da educação tradicional do “aluno quieto e calado x professor ativo”.
Se engajamento na educação popular se dava tanto na rede pública como no pré-vestibular Popular Machado de Assis, do GEP, na Providência.

Toda essa dedicação à educação pública está em risco hoje, pois a SEEDUC instaurou um processo de abandono de cargo contra o professor Filipe. Ele é um dos 23 presos e perseguidos políticos do dia 12 de julho e desde a decisão do Habeas Corpus não pôde se deslocar da cidade do Rio de Janeiro, impossibilitando o retorno às suas escolas até a quebra dessa medida. A Secretaria de Educação não considerou essa impossibilidade jurídica e instaurou um processo de abandono de cargo contra ele.

Hoje o professor Filipe Proença está sem suas turmas, sem seu emprego, sem o salário e com o risco de exoneração. Enquanto isso os alunos das escolas estaduais em Magé que ele trabalha estão sem aulas de história.

Já existe uma autorização judicial para que o professor Filipe se desloque até às suas escolas, no entanto o processo da SEEDUC impossibilita que ele continue suas atividades.

É compreensível que o Estado queira fora das salas de aula um professor que se dedique tão integralmente à formação de jovens moradores da baixada. Sabemos do desdem que o estado tem com a educação pública e toda essa dedicação de um educador incomoda muito àqueles que pretendem manter o povo ignorante da sua História e da sua capacidade de luta e transformação.

Mas nós não iremos aceitar isso!

Exigimos que o Governo do Estado devolva o trabalho do professor Filipe Proença!

E convidamos todxs que acreditam numa educação popular e libertadora para entrar nessa luta conosco!

#voltaproffilipe

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.