Relato de uma companheira grega

Amanhã, é um dia muito triste para todos nós, e mais ainda para o movimento antifascista na Grécia..

Na madrugada da quarta-feira, 18 de setembro 2013, Pavlo Fissas (”Kilah-P” cantor de hip hop e militante antifascista) foi assassinado por um neonazista do partido ”Hrisí Avgí” (Aurora Dourada.) Essa dia serve para nos lembrar que a luta contra o nazismo/fascismo está distante de acabar.

Pavlo estava em uma cafeteria com a sua namorada e alguns amigos. Quando saíram da cafeteria três fascistas os aguardavam, seguidos por outros que chegaram depois.
Assim que os neonazistas alcançaram Pavlos, começaram a agredi-lo. Um deles, Giorgos Rupakias, que foi com um carro, o apunhalou com uma faca e o assassinou.

A namorada do antifascista assassinado pediu ajuda aos policiais que estavam próximos, e quando os chamou ouviu como resposta que os mesmos nada podiam fazer, pois os neonazistas eram muitos.

Com certeza a atitude dos policiais não é estranha para nós aqui na Grécia. São muitas as vezes que a polícia colabora com os neonazistas.

Pavlos não é o único. Muitos imigrantes também foram mortos pelos mesmos assassinos. (Sahzat Lukman é um deles), além de muitas pessoas feridas nos últimos 4 anos.
Os conflitos com os fascistas possuem muita importância por aqui.

Os porcos da ”aurora dourada” são hoje o último refúgio desse sistema em crise, mas vamos esmagá-los!

Esta entrada foi publicada em Uncategorized. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.